José Cândido

3 perfumes de Mulher... para Homem.




A indústria dos perfumes é (ainda) muito sexista na relação que estabelece com os seus consumidores: existe uma clara distinção, desde o momento da sua criação até chegar às mãos do consumidor final, entre um perfume de homem e um perfume de mulher. A inconografia revela-se, também muito distinta, com os tons de rosa a predominar em perfumes femininos e os tons azulados (ou pretos) nos perfumes masculinos. A própria disposição das perfumarias divide as "Fragrâncias Masculinas" e as "Fragrâncias Femininas".


Há, contudo, honrosas excepções! É verdade: existem mesmo perfumes de Mulher que podem ser usados por Homens! Não é só a minha opinião mas a de várias pessoas que, de um ou de outro modo, se movimentam e trabalham no mundo da perfumaria. Existem também posições contrárias à minha, quem defenda que as mulheres não devem usar perfumes de homem (mesmo que gostem do cheiro!) e de que, jamais, um Homem usaria um perfume... de Mulher!
As marcas de perfumes, em particular a Tom Ford, a Hermés e a Zegna perceberam claramente que existia aqui um nicho criativo que, infelizmente, continua a ser muito controverso: perfumes que não são para homem nem para mulher ou perfumes que são para homem e para mulher. Estão confusos? Não fiquem: exprimentem o "Nerolli Portofino", o "Aqua di Bergamotto" e o "Le Jardin de Monsieur Li"; melhor façam um blind test junto dos vossos amigos e familiares.
De facto existem mesmo perfumes de mulher... para homem. Ou será o contrário? Decidam por vocês próprios.

José Vicente Cândido - 6 de Novembro de 2017.